Começou a vacinação: primeira a receber dose em Alagoas, assistente social se emociona

“Se cuidem e se vacinem. Abracem a vacina. É a possiblidade que temos de vencer a pandemia, vencer a mortalidade”, enfatizou a assistente social.

Dez meses após o primeiro decreto de emergência, Alagoas aplicou a primeira vacina contra Covid-19 em uma alagoana. A assistente social Marta Antônia, de 50 anos, recebeu nesta terça-feira, 19, no Hospital Metropolitano, no bairro Cidade Universitária, em Maceió, a primeira dose da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac.

A aplicação deu início ao Plano Estadual de Vacinação do Governo de Alagoas, que recebeu ontem à noite a carga com 87.760 doses da CoronaVac.

Marta Antonia, que tem 50 anos, atua como supervisora da UTI Covid-19, no Hospital da Mulher, e foi a escolhida pelo governo alagoano por atuar na linha de frente do combate ao novo coronavírus mesmo tendo passado por problemas pessoais. Outros quatro profissionais também irão participar desse momento simbólico da campanha de imunização em Alagoas.

Ela estava bastante emocionada e discursou depois de receber a vacina. “É um momento ímpar. Meu primeiro agradecimento é para os voluntários e pesquisadores que fizeram essa vacina acontecer. Acreditem na vacina”, disse Marta.

“Se cuidem e se vacinem. Abracem a vacina. É a possiblidade que temos de vencer a pandemia, vencer a mortalidade”, enfatizou a assistente social.

Neste início serão vacinados aproximadamente 6.300 profissionais de saúde do setor público, indígenas, e pessoas com mais de 75 anos que vivem em abrigos.

A partir desta terça, as doses serão levadas até os outros 101 municípios do interior do estado por transporte terrestre e aéreo, com a escolta das forças da Segurança Pública de Alagoas, como garantiu o governador Renan Filho.

Covid em Alagoas

Segundo o último boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), divulgado na segunda-feira, 18, Alagoas tem 111.724 casos de Covid-19 e 2.629 mortes pela doença.

Fonte: Sertão 142

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *