Venda de Neymar para o Barcelona acirra clima de guerra com o Real

Foto: Sérgio Neves/AE - 8/5/2011
"Neymar fica no Santos até o término da temporada 2012"

Neymar fez subir muito a temperatura da guerra entre Barcelona e Real Madrid. A revelação feita pelo O Estado de S. Paulo de que o Santos chegou a um acordo com o clube catalão para vender o craque provocou um corre-corre nos bastidores dos merengues.

O presidente Florentino Perez ficou furioso com a informação, e garantiu a pessoas próximas que não se dá por vencido. Disse que não desistirá de levar Neymar, e que confia em anunciar a contratação em dezembro.

Na capital espanhola corre há alguns meses a informação de que há um pré-acordo firmado pelo agente de Neymar que garante a ida do atacante para o Real Madrid. E esse documento teria uma ‘cláusula de indenização’ de valor elevado para ser recebida pelo clube no caso de o acordo não ser cumprido.

Se esse tal papel existe, nem Santos nem Barcelona têm ciência de seu conteúdo. E o clube catalão tem um advogado no Brasil tratando do caso com a diretoria comandada por Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro.

Depois da publicação da matéria do Estado, começaram a surgir comentários em Madri colocando em dúvida a validade de um acordo assinado pelo procurador de Neymar, e não pelo jogador. Como tem contrato com o Santos até 2015, Neymar está impedido por lei de assinar pré-contratos com outro clube – só poderá fazer isso quando faltarem seis meses para o encerramento do vínculo.

QUESTÃO DE HONRA

Real Madrid e Barcelona vivem um momento de tensão, com acusações mútuas e uma briga que vai bem além do campo. E a contratação de Neymar se transformou em uma questão de honra para o clube de Madri. Florentino Perez, pressionado pela falta de resultados dentro de campo e pelas seguidas derrotas para Barça, não pode se dar ao luxo de também ter um jogador esnobando o clube e optando pelo rival.

Foi por isso que se apressou em montar uma operação para apagar o incêndio provocado pela entrevista dada pelo jogador ao site da Fifa em um mês. Na ocasião, Neymar disse que o Barcelona era o melhor time do mundo e que para derrotá-lo era preciso contar com ajuda divina.

As declarações fizeram boa parte da torcida do Real se manifestar contra a intenção do clube de contratar alguém que se mostrava tão encantado pelo maior rival. Para ter Neymar o Real Madrid tinha até concordado em deixá-lo no Santos até o meio de 2012. O clube queria levá-lo agora, mas o atacante não quis.

Se quisesse, bastava o Real pagar a multa rescisória de 45 milhões (R$ 104,8 milhões) e o Santos não teria o que fazer. Mas sem o ‘sim’ de Neymar não adiantaria nada pagar a multa.