Greve dos professores de Cacimbinhas: SINTEAL vai recorrer da decisão do TJ

Depois de receber a notícia da decisão do Tribunal de Justiça (TJ/AL) que declarou ilegal a greve dos professores de Cacimbinhas, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas (SINTEAL), através da vice-presidente Consuelo Correia informou que vai recorrer da determinação.

 

Para a sindicalista, os motivos considerados para a decisão monocrática do Desembargador Estácio Luiz Gama de Lima não se aplicam à realidade do município. “A greve em Cacimbinhas não tem paralisação total.” Disse.

 

Segundo Correia, para a categoria não tem como manter 30% de funcionamento em uma reivindicação. “Não é uma profissão igual às outras. Trabalhamos com ensino que exige conteúdos e prazos. Os professores dependem um do outro.” Explicou.

 

Quanto a não comprovação de negociação com a prefeitura o Sinteal alega que tentou um acordo onde a prefeitura teria sugerido aplicar a lei 11.738 que regulamenta o piso salarial da categoria, mas não se comprometeria com o plano de cargo e carreira. “O sindicato não aceita essa proposta.” Disse.

 

A vice-presidente do sindicato acusa o poder público municipal de está fazendo manobra para não cumprir com seus deveres e ameaça entra na justiça com uma ação por improbidade administrativa.

 

A reportagem do Minuto Sertão tentou contato com a prefeitura municipal, mas o telefone não foi atendido em várias tentativas.