Família de idosa que morreu no HRAS, após dar entrada com apendicite diz que houve negligência

Filhos contaram que dois médicos avaliaram, mas não identificaram o problema, o terceiro médico que era um cirurgião, ao avaliar identificou e logo levou para a sala de cirurgia.

A semana que era para ser de comemorações e alegrias, deu lugar ao luto e muita tristeza, é que a família de Ana Maria Bezerra dos Santos, 62 anos, completado no último dia 15 deste mês, se preparava para se confraternizar no final de semana, onde toda a família iria estar reunida, mas no dia seguinte veio o caos.

Era por volta das 11h da manhã da quarta-feira, 16, quando a senhora sentiu uma dor na região da barriga. Sem forças nem para andar, ela foi levada por familiares até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA-24h), lá ela foi atendida e as dores foram aliviadas.

Ao retornar para casa, já no início da tarde, as dores retornaram e preocupados com a situação, um genro da mulher e outros familiares resolveram ir até o Hospital Regional do Alto Sertão.

E foi lá que começou todo o sofrimento da família ‘Ferreira’. Os filhos identificados como Luana Ferreira dos Santos e João Paulo Ferreira concederam entrevista e contaram toda a situação.

Na entrevista eles disseram que dois médicos avaliaram ela, mas não identificaram a apendicite, que só foi descoberta depois da chegada de um cirurgião, 48h após a sua entrada, que identificou o problema e logo a encaminhou para o Centro Cirúrgico. Em estado grave, a mulher passou pelo procedimento, chegou a ficar na UTI, mas não resistiu e veio a óbito na madrugada do domingo, 20.

Para piorar ainda a dor dos familiares, a informação foi dada via telefone ainda na madrugada para os filhos que estavam em casa dormindo e tiveram que se acordar com a notícia da morte de uma das matriarcas da família.

Fonte: Ítalo Timótio